Quinta-feira, 28 de Setembro de 2006

Aos poucos

Aos poucos o meu coração está a rasgar-se. Não sinto saudades tuas, sinto a tua falta. Queria ter-te, preciso de te sentir. Mas longe não é já ali, e as distancias fisicas não são nada, quando comparadas com as distancias emocionais.

Amo-te.

Mais do que alguma vez amei alguém, e mais do que alguma vez quero amar alguém.

Não voltas, eu sei, mas para voltar terias de ter estado, e nunca estiveste.

publicado por Brisa às 19:08
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Esteril a 24 de Outubro de 2006 às 00:00
A perda de um amor, deixa-nos sempre frágeis por momentos, mas crescemos sempre com essas dores. Gostei da força como transmitiste esta msg, mas pergunto, sempre o fizeste, ou despertaste agora quanto tudo já não tem volta? Não é uma critica é apenas uma interrogação, pois por vezes acontece!
Mas também te digo, sairás muito mais forte, cautelosa, mas não deixes que as cautelas te façam sonhar, porque do sonho, da inocência, nasce o Amor!
De semsonocomosempre a 30 de Outubro de 2006 às 14:01
Gostei da maneira como escreves e pensas o amor.
Vou voltar e desde já estás linkado "
Hasta

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Sem título

. Não é por nada

. Apaguei-te

. ...

. Não me feriste de morte

. Aos poucos

. Triste

. Bonita

. Cansaço

. Sempre que...

.arquivos

. Julho 2007

. Setembro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds